12dez
By: admin ligado: dezembro 12, 2019 In: Dicas, Saúde e bem-estar Comments: 0

Final de ano, época de férias escolares e da criançada louca para ir para a praia e/ou para a piscina se refrescar, afinal, verão combina com tudo isso! Porém, a pele dos pequenos é mais sensível que a nossa, e demanda cuidado redobrado na hora de se expor ao sol!

Pensando nisso, elaboramos algumas dicas úteis para quem está planejando pegar uma praia com as crianças neste fim de ano. São cuidados simples, mas que sem dúvida vão trazer muito mais conforto para as crianças — e sossego para os adultos.

1 – Protetor Solar

Até os 6 meses, o uso de protetor não é recomendado, devido à sua maior absorção pela pele sensível do bebê. Então, nesta faixa etária, o ideal é não deixar a criança sol, protegendo-o com roupas e bonés,  já que, mesmo debaixo de guarda-sóis e das árvores, a radiação do sol as alcança.

A partir dos 6 meses, a criança já pode usar filtro solar, com fator de, no mínimo, 30 – leve em consideração o tom da pele: quanto mais clara, maior deve ser o índice de proteção. Vale até aplicar duas camadas para garantir a proteção.

Lembre-se de reaplicar o protetor a cada duas horas e após banhos de imersão (mar, piscina). Vale lembrar que o Sol das 10h às 16h é o mais nocivo, e deve ser evitado, para garantir a proteção de seu filho.

2 – Caso a criança fique ardida

Evite banhos quentes para não piorar a lesão e faça compressas frias locais com auxílio de um pano úmido. Utilize hidratantes à base de água (específicos para crianças) para aliviar a dor e a coceira, especialmente se a pele estiver descascando.

Roupas leves e arejadas também ajudam a criança a se sentir melhor, pois causam menos atrito. Se a criança já estiver ardida, exposição ao sol, nem pensar!

3 – Picadas de insetos

Assim como acontece com o protetor solar, os repelentes só são recomendáveis para crianças com mais de 6 meses. Antes disso, a única forma é a proteção física, ou seja, uso de roupas com mangas longas e calças compridas, além de telas protetoras e mosquiteiros.

Depois dessa idade, os repelentes mais indicados são à base de Deet e Icaridina, que podem ser aplicados até três vezes ao dia — e protegem inclusive dos mosquitos que transmitem a dengue.

Evite produtos “multiuso”, que já venham com hidratantes ou proteção solar em sua composição, pois essas misturas geralmente reduzem a eficácia do produto. Por fim, lembre-se que é melhor aplicar o protetor solar primeiro e, após 20 minutos, passar o repelente.

4 – Cuidados com a areia

Embora seja impossível “fugir” da areia na praia, alguns cuidados devem ser tomados. A areia pode ser transmissora de doenças cutâneas, como micoses, bichos de pé e toxoplasmose.

As micoses encontram solo fértil em ambientes úmidos, que favorecem a proliferação de fungos. Por isso, seque bem a criança após o banho, especialmente em regiões de dobras, como axilas, virilhas e entre os dedos dos pés e mãos. Também não deixe que ela ande sem calçados em pisos que estão sempre úmidos, como lava-pés e vestiários de clubes e piscinas.

5 – Assaduras

Mais um incômodo do calor as as assaduras, uma vez que as altas temperaturas promovem uma transpiração maior e essa umidade (mais o calor), aumenta o risco da proliferação de fungos, que são os responsáveis causam as assaduras.

Se a sua criança ainda usa fraldas, é importante realizar trocas frequentes para evitar assaduras. Outra dica é deixar a criança sem fraldas sempre que possível, para que a pele possa respirar um pouco.

Se seguir estas dicas, o verão dos seus filhos/sobrinhos/netos vai ser muito mais tranquilo, e você vai ter muito menos dor de cabeça. Se quer ainda mais sossego e segurança, contrate um Seguro Saúde da Alternativa Brasil e aproveite o verão sem preocupação! 😉

Trackback URL: http://www.alternativabrasil.com/noticias/2019/12/12/ferias-verao-como-proteger-criancas-sol-assaduras-mosquitos/trackback/

Leave reply:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *